A moda como deve ser: para todos!

Só no Brasil, mais da metade da população está acima do peso. Pelo menos é o que diz o Ministério da Saúde, em pesquisa feita ainda este ano. Mas, porque ainda é tão difícil encontrar roupas acima do 38?  

O #NAREAL conversou com a Thayná, criadora da marca Chica Bolacha, para entender mais sobre a importância, evolução e tabus que permeiam no mercado plus size. Espia só:

#NAREAL: Como surgiu a ideia de criar a Chica Bolacha?

Thayná: Lá no começo dos anos 2000, com ajuda da minha mãe e também sócia, Rosângela, produzia peças alternativas e alegres. Até aí, o corpo das clientes não era uma questão. Mas a sacada de produzir tamanhos maiores partiu de uma percepção minha, ao ver que a marca estava deixando de atender uma parcela importante das consumidoras. A magra comprava minha roupa, a gorda não porque não tinha o tamanho dela. Vi que era injusto uma mulher gorda não poder escolher o que vestir.

#NAREAL: Você mesma cria as peças e as frases empoderadas? Como é o processo criativo?

Thayná: Sim, a criação de todas as coleções e estampas fica por minha conta, enquanto a modelagem e shaping são assinatura da Rosângela. Os cards e frases que divulgamos são de artistas que colaboram com a gente tanto em ilustrações quanto em conteúdo. Sempre buscamos trazer artistas femininas para divulgar seus trabalhos nas redes sociais.

#NAREAL: O mundo da moda ainda tem a necessidade de rotular a moda como convencional/plus size/feminino/masculino. O que você pensa sobre essas definições e o poder delas sobre a nossa autoestima?

Thayná: Espero que num futuro próximo a segmentação Plus Size não exista mais. Acredito que a moda deve servir à todas as mulheres, independente do tamanho do seu manequim. Se uma mulher é gorda, o estilo dela não é diferente da magra. Isso pra gente é muito óbvio.
A Chica Bolacha faz moda feminina e as mulheres são de todos os tamanhos. Por isso parece justo que a nossa grade possa abranger mulheres do 38 ao 60. Elas que escolhem o que irão vestir, não é a moda que decide.

#NAREAL: Representatividade. Qual a importância dessa palavra para você?

Thayná: Representar as diferenças nas campanhas é empoderador para todas as mulheres, mexe com a autoestima, com a aceitação e amor próprio. Na última campanha da Chica selecionamos 10 clientes para serem modelos da coleção, escolhemos cadeirantes, gordas, magras, negras, orientais... representatividade é tudo, tanto em uma empresa quanto na sociedade.

#NAREAL: A Chica tem um posicionamento superdescolado e autêntico, coisa rara quando se trata de moda plus size. Como foi a aceitação do seu público no início do projeto?

Thayná: Receio muitas pessoas ainda têm, mas é uma minoria. Quando surgimos, preenchemos uma lacuna da moda com identidade, personalidade e sem cara de vó. Porque antes tudo que se via era moda Plus Size com cara de senhorinha, sem cortes bacanas, sem estampa, sem ousadia.

Na Chica, a gente não pensa se uma gorda ou uma magra vai usar. Nós produzimos a roupa, o conceito e a cliente se sente respeitada por isso. Ela vê que a gente não se preocupa em esconder braço, por exemplo, então ela acredita que também não precisa se preocupar.
Antes de mais nada, respeitamos e empoderamos nossas clientes. Acredito que essa é a chave para um consumo mais honesto e mulheres mais confiantes.

- O trabalho da Thayná é lindo, né gente? Deixe seu like abaixo pra esse projeto!

- Compartilhe nas suas redes e apoie a moda inclusiva e livre de preconceitos <3

- Siga @chicabolacha



1
21 vezes em que o chunky combinou com as peças do seu guarda-roupa
#NAREAL_moda - 11.07.2018

21 vezes em que o chunky combinou com as peças do seu guarda-roupa

Pra provar que os dad sneakers podem ser usados em qualquer situação, separamos 21 looks BOMBÁSTICOS para você montar com as roupas que já estão no seu closet.
leia todo o conteúdo >
Camiseta empoderada: opinião estampada!
#NAREAL_moda - 29.09.2017

Camiseta empoderada: opinião estampada!

A moda, como agente social, é um eterno paradigma. Ao mesmo tempo que cria estereótiposde beleza e comportamento, pode ser a porta-voz de problemas sociais e de gruposminoritários. Basta escolher o caminho a ser seguido. 
leia todo o conteúdo >
#Partiu2018: looks para a virada baseados no significado das cores.
#NAREAL_moda - 21.12.2017

#Partiu2018: looks para a virada baseados no significado das cores.

E aí, já pensou nos seus desejos para 2018? Para garantir as conquistas do próximo ano, o #NAREAL explora seu lado místico e mostra sugestões de looks com a cor certa para alcançar seus objetivos. 
leia todo o conteúdo >